A importância de manter atualizada a sua estratégia de conteúdo

A importância de manter atualizada a sua estratégia de conteúdo

Não existem campanhas de marketing de conteúdo porque elas sugerem a existência de início, meio e fim, e o marketing de conteúdo pede continuidade.


 

2017 deu as caras e fica a pergunta: você já atualizou a sua estratégia de conteúdo?
Marcar terreno na internet é um trabalho sempre progressivo, tanto para quem já consegue ranquear bem nos buscadores de pesquisa, educar clientes e até atender a demandas internas dos setores da empresa quanto para quem está começando a gestão de conteúdo.
Se o content marketing pede regularidade, podemos, aliás, devemos concluir que a estratégia de conteúdo também é algo mutável e sempre deve sofrer alterações.

Mudanças nos processos de compra pedem novas estratégias

 
Prova da mutabilidade da estratégia de conteúdo está no processo de compra. Pergunte-se como você comprava há 5, 10 anos? Certamente não é do mesmo modo.
Segundo o site Internet Para Empreendedores, a primeira loja virtual surgiu em 1994 nos Estados Unidos, quando apenas 5% da população americana tinha acesso à internet. O produto era uma pizza. E depois de começar em pizza, gigantes como a Amazon e a Ebay tornaram-se gigantes da internet. Este foi o início de uma mudança radical no processo de compra e venda na relação de fornecedores com os seus clientes.
De lá para cá, o processo vem evoluindo de forma substancial, os sites e-commerce foram multiplicados mundo a fora e assim também foram surgindo leis para regulamentar as lojas virtuais, além da evolução que o mercado foi pedindo, como segurança. Repare, por exemplo, na quantidade de selos que servem para atestar ao consumidor o cuidado com os seus dados bancários e informações de contato.
Os métodos de pagamento também estão bem diferentes: além do clássico boleto, esta transição integrou meios diversos como cartão de crédito e débito, Paypal, os famigerados programas de pontuação que bonificam o cliente a cada compra concluída acumulando pontos que podem ser trocados por viagens e descontos, e uma novidade mais recente é a possibilidade de pagar com dois cartões.
Já as compras fáceis, ou compras rápidas, são um grande facilitador para o cliente que precisa de agilidade e tem mais habilidade com a internet, porque deixa salvo os dados de crédito do comprador e complementa as informações na transação evitando aqueles errinhos muito irritantes de preenchimento dos dados.
A responsividade é outro item fundamental para os atuais compradores: segundo dados do CGI (Comitê Gestor de Internet), somente nas classes D e E, entre os anos de 2011 e 2014, o uso de internet pelo celular cresceu de 4 para 18%, já na classe C, o salto foi de 14 a impressionantes 47%, a classe B subiu de 25 para 69% e, por fim, a A cresceu de 45 para 70%. O uso da internet nos smartphones também cresceu exponencialmente nas áreas rurais: estima-se que entre 2011 e 2014 o crescimento foi de 4 a 24%. Os tablets representam a fatia de 33% dos terminais de conexão; o suporte online, no universo das lojas virtuais, também é um dos cuidados exigidos e que inclusive reforça a segurança, dando ao cliente a impressão de que ele terá acompanhamento caso precise tirar dúvidas técnicas e especializadas.

Consumo acirrado, atualização obrigatória

 
Você já parou para pensar em como os seus pais ou seus avós compravam?
Seus avós e até seus pais provavelmente consumiam bastante produtos oferecidos de porta em porta. Esta modalidade de venda não foi extinta, mas consideravelmente reduzida. Ela também não se aplicava a todos os produtos ou serviços e a concorrência era menor.
Após esse período, tivemos um crescimento econômico em nosso país com a estabilização da moeda e medidas de proteção e incentivo ao consumo – como a redução de alíquota para produtos importados – que impulsionaram o acirramento na busca pelo cliente. Para se ter uma ideia da ampliação das ofertas, de janeiro a junho de 2014, foram criados 944.678 novos empreendimentos. Isso significa um aumento considerável, crescente e até agressivo na distribuição de ofertas.
Comparando a realidade de ontem com a de hoje, você tem mais concorrência que os seus antecessores, isso quer dizer que a oferta é diferenciada para você. É possível ter vantagens como e-commerces, compras coletivas, cupom de desconto e até compras internacionais, atendimento via redes sociais e mais uma infinidade de mudanças que vêm impulsionadas pelas novas tecnologias e a correria alucinante do fluxo de informações que a internet e a mobilidade proporcionam.

Os compradores estão mais exigentes

 
Relacionamento é mais um dos aspectos a ser somado na evolução do processo de compra e venda.
O consumidor se tornou mais exigente e quer mais que produtos, serviços e fidelização, por isso é muito importante estar atento às mudanças de comportamento do seu público consumidor. Hoje o comprador vai além, ele busca consumir de quem entende e mostra que sabe.
Relacionamento é conteúdo, e acredita-se no poder dos relacionamentos que o conteúdo representa. Voltando à parte prática do nosso dia a dia, ao fazer uma reserva num hotel, você com certeza pesquisou no site deles quais eventos aconteciam na cidade no período da sua hospedagem, não foi? Sobre bebidas, eu aposto que você fez coisa parecida. E por aí vai.

O mundo muda, a estratégia de conteúdo também

 
Frente a tantas mudanças, por que a estratégia de conteúdo ficaria parada?
Se pensarmos, digamos, em um tempo mínimo de dois anos, é bem provável que o seu produto e/ou serviço não seja mais o mesmo. Você você sabe como o seu público recebeu essas mudanças? Pense em como você prestava serviço ou vendia seus produtos. É fácil afirmar de olhos fechados que pelo menos o processo não é mais o mesmo.
Você precisa estar passo a passo com o seu público e com o mercado, mantendo-se atualizado e atento aos feedbacks recebidos.

Fonte: Contentools

Sem comentários

Publicar Comentário

vinte + 3 =