5 Passos para criar um logo

5 Passos para criar um logo

O processo de concepção de um logo é uma contínua aprendizagem, mesmo para profissionais experientes.

 

Na hora de criar, vários aspectos entram em jogo, desde originalidade, experiência do designer, necessidade do cliente, eficácia e impacto visual do logotipo. Ninguém vai contratar um designer para replicar ou para conceber um logo que facilmente é esquecido.

 

Vale ressaltar que cada profissional adota diferentes maneiras para criar um logo, e nesse processo encontra o que se torna mais viável e ajuda-o a libertar-se para criar de forma rápida projetos impactantes.

 

1 – Perceber o problema

 

Como fazer se o problema não foi percebido? Como é possível resolver um problema mal-entendido? O mais provável é propor soluções que não funcionam, portanto, é indispensável entender claramente o que se pretende, o que o cliente precisa e para quem é direcionada a solução. Perceber o público-alvo, o mercado, o espaço geográfico faz parte, todos elementos que farão parte do logotipo devem ter a ver com as pessoas.

 

2 – Pesquisar

 

Percebido o problema é necessário pesquisar para perceber o que existe em torno do mesmo problema e evitar que a sua solução seja uma mera repetição do que já existe. A pesquisa permite também capturar tendência, a “linhagem visual” dos logos da mesma área de atuação, para além de encontrar ideias que o vão inspirar, em diferentes plataformas, como o PinterestBehanceInspirationde entre outras outras.

Quando criamos precisamos de estar dentro de um contexto, por isso que há cores que não funcionam para marca de produtos alimentícios, por isso que existem cores para produtos/marcas ligados a tecnologia, e só podemos perceber esse facto quando fazemos pesquisa. Na pesquisa encontramos tipografias modernas, tradicionais, compreendemos os diferentes casos em que foram usadas.

 

3 – Esboçar

 

Nessa fase passamos, praticamente, do teórico para concretização da (s) ideia (s) a partir da representação visual. Enquanto pesquisamos, provavelmente imaginamos várias maneiras de solucionar o problema, com os esboços materializamos, encontramos significados, atribuímos um conceito às formas.E para quem não sabe desenhar a mão? O esboço conforme refere o nome não precisa ser um desenho perfeito, é uma representação visual que ajuda-nos a compreender as ideias ainda inexistentes e a passar para fase seguinte.

 

4 – Concretizar

 

Nessa fase atribuímos corpo ao logo, passa de uma ideia inexistente para ter vida. Com recurso a um software de desenho vectorial materializamos as ideias anteriormente feitas a mão. Existem três fases importantes para a concretização do logo:

 

a) Forma: logo é a forma. Precisa ter forma para existir, geralmente é o símbolo visual.

b) Tipografia: a tipografia deve ser escolhida a dedo. Na fase de pesquisa é possível vermos as diferentes tipografias para o tipo de projecto em que pretendemos trabalhar. A tipografia traduz diferentes mensagens, por isso a sua escolha não pode ser ocasional, dever ser consciente. Teste diferentes fontes tipográficas e veja qual é ideal.

c) Cor: A cor combinada com outros elementos é cerne de um logo.  A cor pode ser usada para conseguir diferentes efeitos sobre a forma e ter um resultado mais finalizado. Uma palheta também pode ser de grande ajuda.

 

5 – Aplicar 

 

Após a finalização, é importante testar e perceber o quão funciona o logotipo e eliminar imediatamente as suas fragilidades. Aplicando, percebemos o impacto em diferentes materiais e a força visual por si transmitida. A aplicação ajuda também na hora de apresentar a solução em uma equipa de colegas ou cliente.

 

Considerações finais

 

Em cinco passos é possível chegar a resultados incríveis, no entanto, é necessário aprimorar, praticá-los para perceber o seu impacto no resultado final. Nenhum deles funciona de forma mágica e devem ser todos exercitados: exercitar a sensibilidade em perceber e interpretar o problema exposto, exercitar hábitos de pesquisa, desenhar muito para ter esboços mais consistentes, executar várias vezes e aplicar diferentes logotipos para perceber como cada um pode ter mais impacto que outro. A criatividade não pode ser ensinada, cada designer explora de forma diferente a alia-a ao processo de criação para conseguir melhores resultados.

 

Post original: Design Culture

 

 

 

 

 

Sem comentários

Publicar Comentário

três + sete =